Parapeito

Que eu vivo a vê-la já todos
veem – e vendo-o não me entendem.
Não conhecem pois não sentem:
pouco enxergam do Engodo.

Daí que o amante [o poeta]
é em si severa clausura:
o poema, da amargura,
é mostra vil e discreta.

Sequer o girassol – ela -,
enxerga luz sendo estrela:
carece de ver o Sol.

Pobre daquele que em prol
da Luz, sem ver seu farol,
fica à mercê da janela…

Anúncios

~ por Carlos Pegurski em outubro 23, 2012.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: